OITOFELIX

Consolável escuridão

Esperanças por algo
Toda vida a desejar
Num momento a conseguir
Todavia deixar e desistir!

Esperanças por nada
Arder-te a alma
Para te consolar
A consolável escuridão!

E a busca
E a procura
Naquele bosque
cadê a cura?

Esmeraldas ofuscadas
Anjos em comunhão
Esperar voltar no tempo
Portal de um templo
Da consolável escuridão!

O único limite é o tempo
Do pretérito desejo
Para relembrares
Da espera que ainda existe
E desesperas...

A gritar:
Pegue minha mão!
E sussurrar:
Ficarei contigo!
E esperar:
Da solução,
A Inconsolável escuridão!